O MAIOR CINEMA
ao ar livre do mundo

O Evento

O Open Air é o maior Cinema ao ar livre do mundo e acontece no Brasil há 15 anos. Em 2017, ele é Shell Open Air!

No Shell Open Air é possível vivenciar a magia do Cinema em dimensões únicas, além de muita música e gastronomia. A Super Tela, do tamanho de uma quadra de tênis, é a principal protagonista. Projeção digital e sistema de som composto de 28 caixas Dolby Digital Surround deixam as sessões impressionantemente mágicas.

Clássicos do Cinema se unirão às mais recentes novidades da telona e a grandes nomes da música brasileira em um cenário especial. Shows e performances ao vivo de artistas em cenografias e paisagens exuberantes com instalações interativas e excelentes opções gastronômicas também fazem parte desta experiência. Em uma atmosfera recheada de entretenimento, informação, cultura e gastronomia, o Festival é sempre um sucesso.

De 07 a 25 de junho
Marina da Glória | RJ

Prepare-se, o filme já vai começar!

Os ingressos estão à venda através da Bilheteria Digital e postos Shell selecionados. Nos dias de programação, os ingressos serão vendidos também na bilheteria do evento, na Marina da Glória, de quartas a domingos, das 16h à meia-noite. 

A classificação indicativa das sessões é definida de acordo com a classificação de cada filme. Para os shows, a classificação etária é de 18 anos.

Programação: Os organizadores reservam-se o direito de, com autonomia e liberdade, modificar a qualquer momento ou condição a programação pré-estabelecida e as datas e horários do evento divulgados e impressos nos ingressos, especialmente em razão de força maior e/ou casos fortuitos.

A Tela

Uma Super Tela que é a grande estrela.

Já está quase na hora de começar o filme no Shell Open Air e a Super Tela ainda está abaixada. Em poucos minutos, no entanto, um moderno sistema hidráulico ergue os monumentais 325 metros quadrados da maior protagonista da noite, que brilha em um show à parte, com jogo de luzes e trilha especial, como o detalhe final e fundamental de uma megaoperação de montagem.

Transportado de lá para cá pelos continentes, a tela gigante é armazenada em 4 containers. Um total de 70 toneladas que atravessa oceanos para ser reerguido por um guindaste e uma empilhadeira, recomeçando seu espetáculo.

"Tudo foi feito pensando que o telão seria transportado várias vezes no ano, para vários lugares do mundo"

“Como é um superprojeto de engenharia, são necessárias cinco pessoas para montá-lo. Tudo foi feito pensando que a Super Tela seria transportada várias vezes no ano, para vários lugares do mundo.” explica Renato Byington, diretor geral da D+3 Produções, que já levou o Open Air para o Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Lisboa, Madrid e Santiago.

Desde 2012, a tela se tornou ainda maior do que nas edições anteriores. Com formato CINEMASCOPE, ela ganhou mais 45m2 de área, atingindo seus 325m2 e passando da projeção analógica para a digital. A tela é firme e robusta, capaz de suportar condições climáticas adversas como chuvas e ventos de até 50 quilômetros por hora. Para dar conta das imagens gigantescas, o equipamento de som exige alta qualidade - e quantidade. São 28 caixas de som, que produzem um som digno de um grandioso show.

História

O Brasil acabava de se sagrar pentacampeão mundial, Rodrigo Santoro se transformava no mais novo ator de Hollywood e o primeiro filme da série Harry Potter era a grande atração das salas de cinema comuns. Isso tudo há 15 anos, em 2002. Este era o cenário do primeiro ano do Open Air no Brasil. Entre outubro e novembro, os Jockey Club do Rio de Janeiro e São Paulo recebiam o evento que já havia se consolidado há muito tempo em outros lugares do mundo. Desde 1988, já era a sensação da Europa. O tempo mostraria que havia muitos caminhos a percorrer a partir dali.

Depois de conquistar as capitais cultural e econômica do país, o Open Air chegou à capital política. Em 2005, milhares de brasilienses foram recebidos de braços abertos para assistir às projeções em tamanho recorde, que iam desde os lançamentos da época até sucesso eterno de “A Noviça Rebelde”. Esta, aliás, viria a tornar-se uma forte marca do Open Air: juntar clássicos da Sétima Arte com o que há de mais novo na indústria do Cinema.

Em 2012, o maior telão a céu aberto do mundo repetiu a fórmula de sucesso passando por São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, chegando pela primeira vez ao Nordeste. As noites do Open Air no Cais de Santa Rita foram animadas com a estreia de “O Som ao Redor“, superpremiado no exterior e filmado no próprio Recife, e os clássicos “Pulp Fiction” e “O Poderoso Chefão“.

Em 2012, o maior telão a céu aberto do mundo repetiu a fórmula de sucesso passando por São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, chegando pela primeira vez ao Nordeste.

Chegada a hora de balançar o esqueleto e estender a experiência do Festival noite adentro, a música é potentemente presente e fundamental. Ao longo de uma quinzena, honraram os palcos do evento nomes como Lulu Santos, Wilson das Neves, Caetano Veloso, Pepeu Gomes, Nando Reis, Spok Frevo Orquestra, Elza Soares, Moraes Moreira, Seu Jorge, Nação Zumbi, Maria Gadú, Monobloco, Baby do Brasil e até o saudoso Wando, dentre tantos outros ícones nacionais e internacionais.

Em 2013 foi a vez de Brasília receber novamente o Open Air, com um sucesso inédito: 8 dias completamente esgotados. No segundo semestre, foi a vez do Sul do país receber a Super Tela: a edição de Curitiba foi incrível, assim como a de Porto Alegre, mesmo com frio e chuva em alguns dias!

Em 2014, o Open Air voltou ao Rio de Janeiro, depois de dois anos. Os cariocas amaram! E, em novembro do mesmo ano, Belo Horizonte teve o prazer de conhecê-lo pela primeira vez, no Mirante Olhos d’Água. Em 2015, o Open Air apresentou-se novamente com muito sucesso no Jockey Club de São Paulo e logo depois, em maio, o evento retornou para Brasília. A última edição do Open Air aconteceu em Recife, em 2016.

Shows

O Shell Open Air une cinema, música, gastronomia e muita diversão.

A programação musical, assim como a do Cinema, é diversa. Há espaço para Jazz, Soul, Rock e muitos outros ritmos. Após as sessões, os shows às sextas-feiras prometem manter as noites do Shell Open Air animadas até o final do evento.

As atrações e performances combinadas aos filmes promovem uma experiência completa de entretenimento.

Esse ano, The Silva's com Paulo Miklos dão início à festa na noite de abertura. Ainda na primeira semana, Emicida convida Mahmundi, Drik Barbosa e Larissa Luz para encerrar a noite do dia 09/06, logo após a exibição de "La La Land, Cantando Estações". Já na segunda semana, a Funqquestra comandará o show de instrumentos logo após a exibição de "Moulin Rouge - Amor em Vermelho", na quinta-feira 16/06. Já na última semana, o Dream Team do Passinho canta e dança The Jackson 5 para encerrar a noite do dia 23/06, logo após a passagem do clássico "Footloose - Ritmo Louco" pela Super Tela.

E não para por aí: a nossa programação ainda conta com Shows Instrumentais das bandas The Screeners, 3 Na Bossa, Dudu Oliveira Trio e Sexteto Sobrenatural. Você não pode perder!

Gastronomia

Che Boludo! Empanaderia

Um mix de empanadas tradicionais argentinas com alguns sabores do Brasil acaba de abrir suas portas na Gávea. Che Boludo, comandada pelo trio porteño - carioca, Daniel, Gustavo e Santiago, oferece em receitas especiais o melhor dos dois países. Uma distinta seleção de vinhos argentinos acompanha as leves e deliciosas empanadas, sempre frescas, disponíveis também para delivery.

Pizza Al Taglio

Fruto do empreendedorismo de Leandro Migani, a Pizza Al Taglio foi aberta inicialmente num local fixo no bairro Leblon, porém sua veia para eventos logo foi manifesta e a Pizza Al Taglio começou a atender com estrutura móvel a eventos corporativos, festivais, shows, entre diversos outros eventos.

Atualmente, conta com duas lojas fixas dentro do Riocentro e montagens provisórias para praça de alimentação de eventos. A Pizza Al Taglio se tornou uma das maiores referências no segmento, oferecendo fast-food com excelente qualidade, praticidade e muito sabor! Na versão TRUCK, a Pizza Al Taglio oferece a mesma qualidade do serviço que qualifica positivamente há tantos anos, atendendo à demanda desse novo nicho de mercado que não para de crescer.

Jojô Bistrô

O charmoso bistrô do Horto leva um pouco do seu clima boêmio e da sua consagrada gastronomia para a Marina da glória durante o evento de cinema e música que vai rolar em junho, no Rio.

A chef Joana Carvalho, também sócia do Jojö To Go, desenvolveu um cardápio inspirado nos filmes exibidos no telão do Shell Open Air – pratos do dia, seguindo o estilo gastronômico do bistrô – arrozes, couscous, curries, com aquela mistura de ingredientes super característica do trabalho reconhecido da chef.

O clima do bistrô fica completo com um bar de vinhos montado no local, em parceria com a Vinheria JB, que desenvolve as cartas do Jojö. A seleção de rótulos pode ser consumidos em taças, garrafas, ou em combos de 3 taças para degustação, por valores especiais. Pra acompanhar, tábuas de queijos nacionais de leite cru artesanais selecionados; sopinhas com diferentes sabores a cada dia, sanduíches, wraps e saladinha do Jojö To Go.

Tapí Tapioca

Tapí é tapioca artesanal.
Um pé fincado nas tradições indígenas, outro pé que se emancipou e cruzou a boa gastronomia. O capricho do que é feito à mão sempre.